sábado, 18 de fevereiro de 2012

A influência da carta.


Iniciarei a área de estudos com os testemunhos das pessoas que foram influenciadas pela carta aos Romanos. Não deixe de acompanhar.

O nosso primeiro exemplo é Aurélio Agostinho, conhecido no mundo como Agostinho de Hipona e que viria a tornar-se o maior dos Pais Latinos da igreja primitiva, nasceu em uma pequena fazenda onde hoje é a Algéria. Durante a sua turbulenta juventude ele foi, ao mesmo tempo, escravo de suas paixões e objeto das orações de sua mãe, Monica Na qualidade de professor de literatura e retórica, mudou-se sucessivamente para Cartago, Roma e depois Milão, onde acabou sendo atraído pela mágica das pregações do Bispo Ambrosio. Foi ali, durante o verão do ano de 386, aos tinta e dois anos de idade, que ele retirou para o jardim da hospedaria onde morava, em busca de solidão.’’Para ai fui levado pelo tumulto do coração onde ninguém podia interferir na luta violenta que travava comigo mesmo...[1]


Eis que, de repente, ouço uma voz vinda da casa vizinha. Parecia de um menino ou de uma menina repetindo continuadamente uma canção:”Toma e lê; toma e lê ... A única interpretação possível, para mim, era a de uma ordem divina para abrir o livro e ler as primeiras palavras que entrasse... Apressado, voltei ao lugar onde Alípio ficara sentado, pois, ao levantar-me , havia deixado aí o livro do Apóstolo. Peguei-o, abri e li em silêncio o primeiro capitulo sobre o qual caiu meu olhar: "Não em orgias e bebedeiras, nem na devassidão e libertinagem, nem nas rixas e ciúmes. Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e não procureis satisfazer os desejos da carne "[Rm13.13s]. Não quis ler mais, nem era necessário. Mal  terminava a leitura dessa frase, dissiparam-se em mim todas as trevas da dúvida, como se penetrasse no meu coração uma luz de certeza[2].


[1] Stoot, A Mensagem de Romanos, pp. 14-15
[2] Agostinho, Livro VIII, pp. 207-214

Nenhum comentário:

Postar um comentário