segunda-feira, 2 de abril de 2012

Introdução



A influência da Carta

  • Muitos líderes da igreja influentes, em diversos séculos, dão testemunho do impacto produzido pela Epístola aos romanos em suas vidas, tendo sido ela, em diversos casos, o instrumento para sua conversão.

Agostinho de Hipona

  • Nascido em 354 dC
  • Uns dos maiores páis latinos da igreja primitiva.
  • Teólogo e filósofo
  • Durante sua turbulenta juventude ele foi, ao mesmo tempo,escravo de suas paixões sexuais e objeto das orações de sua mãe Monica. Professor de literatura e retórica, mudou-se para Milão,onde acabou sendo atraído pela mágica pregação do Bispo Ambrosio. E foi ali, durante o verão de 386, aos trinta e dois anos de idade, que se retirou para o jardim da hospedaria onde morava, em busca de solidão.

Martinho Lutero

  • Nascido 1483
  • Figura central da Reforma Protestante
  • Ele achava que o caminho mais certo para chegar ao céu era como um monge, em 1505, na idade de 21 anos, ele entrou para o convento Agostiniano em Erfuhrt, ali ele orava e jejuava, às vezes por dias sem fim, além de outras austeridades extremas.
  • Lutero recorreu a todos os recursos do catolicismo de seu tempo de amenizar a angustia de um espírito alienado de Deus. Nada apaziguava a sua consciência atormentada, até que, como professor de bíblia na Universidade de Witemberg, ele foi designado para estudar e fazer exposição sobre Romanos. Primeiro ele ficou indignado com Deus, pois ele se revelava muito mais como um Juiz do que um Deus misericordioso. Onde poderia encontrar um Deus gracioso?O que estaria dizendo Paulo ao declarar que “a justiça de Deus fora revelada no evangelho?  

 John Wesley

  • Duzentos anos mais tarde, foi o discernimento dado por Deus a Lutero com relação a verdade da justificação pela graça através da fé que resultou em uma experiência idêntica de iluminação para John Wesley.
  • Como líder de um grupo na universidade de Oxford, o que viria ser apelidado “o clube dos santos”. Juntos faziam estudos sobre as sagradas escrituras por volta de 1729. Então em 1735, embarcaram para uma viagem como colonizadores e como missionários entre os índios na Virginia. Voltaram desiludidos, e só tiveram algumas experiências positivas entre os morávios.
  •  Então, em 24 de maio de 1738, durante uma reunião entre dos irmão moraviosem Londres- a qual, aliás, John Wesley tinha ido muito a contragosto- essa sua confiança em seus méritos cedeu lugar para a fé em Cristo. Alguém estava lendo o prefácio ao comentário de Romanos, de Lutero. Eis o que Wesley registrou em seu diário.

Roma 

  • Fundação 753 a.C
  • Entre 509 e 207 a.C teve uma expansão interna por toda península itálica.
  • 27 a.C inicia o Império Romano e começa a expansão para outras regiões em volta do mediterrâneo.
  • Cultura helênica, o idioma grego era muito utilizado dentro do império.
  • A população de Roma provavelmente ultrapassava um milhão de habitantes.


  1.1 Data e Ocasião

  • A carta foi escrita entre os anos 57/58 AD. Paulo ditou a Tércio [Rm 16:22] E estava na cidade de Corinto, na casa de Gaio [16:23; cf. 1 Co 1:14].
  • Circunstâncias: Paulo estava no fim da 3ª viagem missionária [15:22s]. O objetivo era chegar a  Espanha. Plano de passar em Roma. Estava na primeira viagem a Jerusalém levando ofertas recolhidas nas cidades  para ajudar os cristãos que estavam em na cidade. [15:25s, cf. At 19:21-20:6].
  • Propósito da carta: Paulo estava prepararando-os para uma futura visita [15:30-32]. Caso a visita não fosse possível, os romanos teriam recebido o “evangelho de Paulo” ainda assim. 

1.2 Leitores

  • Por ocasião do envio da carta Paulo ainda não tinha visitado Roma [1:10s].
  • Não há informação segura no NT sobre a origem da igreja em Roma. É possível que a Igreja tenha surgido do grupo de judeus que esteve em Jerusalém quando do Pentecoste [At 2:10]. 
  •  O que se sabe com certeza é que no ano 49 AD já havia um núcleo de cristãos em Roma [At 18:1ss; cf. decreto de Cláudio banindo os judeus — Suetônio, Vida de Cláudio, 25].
  • A possibilidade do surgimento da comunidade em Roma por meio de judeus é grande — o tamanho da comunidade judaica no 1º séc. a.C. era de aprox. 50 mil e havia 13 sinagogas [H.J.Leon, The Jews of Ancient Rome (Philadelphia: 1960; pp. 135ss)]
  • A igreja romana era uma comunidade mista (judeus e gentios) na época em que Paulo escreveu. A carta reflete certa tensão entre os 2 grupos: lei e graça [caps. 7-8], destino de Israel [caps. 9-11]. 

1.3 Estilo 

  • Diatribe: forma retórica grega em que o escritor (ou orador) entra num debate imaginário com um interlocutor, levantando pontos ou fazendo objeções que então, são respondidos no texto [R.P.Martin, “Approaches to NT Exegesis”, em I.H.Marshall (ed.), New Testament Interpretation, 247]. Veja: 2:1,3,17; 3:1-4,9. 
  •  J.Jeremias sugere que o vívido estilo paulino em Romanos é reminiscente das experiências missionárias do apóstolo. Certamente Paulo foi muitas vezes interrompido por um ouvinte judeu que levantava uma objeção à sua mensagem, o que o obrigava a dar uma resposta imediata ["Chiasmus in den Paulusbriefen", em ZNTW 49 (1958), 145-156].  
  •   Método rabínico de argumentação: a) citação conjunta de passagens do AT [e.g., 3:10ss — chamado de charaz : "rosário" de citações; cf. A.Edersheim, Life and Times of Jesus the Messiah, I:449]; b) pesher: uma adaptação do AT e sua interpretação a outro contexto (e.g., 10:6-8)

1.4 Estrutura

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário