quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Discípulo X Multidão Pregação 14/10/2012


Estudando as escrituras, principalmente nos evangelhos, nos deparamos varias vezes com o verbo seguir. Talvez seja um dos mais conhecidos entre nós. Seguir era uma das características integradas no ministério de Jesus. Alem de atrair muitas pessoas para próximo dele também utilizava o verbo para chama-los para si. Eu particularmente imagino que essa devia ser uma frase bem conhecida entre as pessoas antigamente. Olha lá os seguidores de Jesus ou também entre discussões familiares, você vai virar seguidor Dele. Eram escolhas que as pessoas tinham que fazer nessa época. Devia ser maravilhoso estar perto do mestre e ter a oportunidade de ouvir os seus ensinamentos e ver o poder de Deus manifestar no meio das pessoas.
A bíblia é muito clara a respeito dos indivíduos que seguiam Jesus. A palavra não especifica muito sobre esses seguidores, e os classifica em dois grupos apenas: as multidões e os discípulos.
Gostaria de entrar nesse assunto porque seguir a Jesus não o te torna um cristão. Existe uma grande diferença entre esses dois grupos, ser discípulo é muito diferente de ser a multidão. Passaram-se muitos anos e parece que a historia continua a se repetir. Olhando a igreja atual, nós vemos muitas multidões, muito entretenimento, muita teologia da prosperidade, muito o que Jesus pode dar e isso é errado.  Estamos vendo muita multidão e poucos discípulos e Jesus é bem claro em seu chamado. Somos chamados para sermos discípulos e não multidão.
E isso me preocupa, porque tem muitas pessoas sendo enganadas por ai, muitas pessoas achando que herdarão a vida eterna, mas estão indo diretos para o inferno.  Isso não te preocupa? Não podemos ficar calados, mas temos que verificar uma coisa antes, examine o seu coração com essa pregação, você é discípulo ou multidão?
Quero levantar as características sobre esses dois grupos.

João 6:25,26 Quando o encontraram do outro lado do mar, perguntaram-lhe: "Mestre, quando chegaste aqui? " Jesus respondeu: "A verdade é que vocês estão me procurando, não porque viram os sinais miraculosos, mas porque comeram os pães e ficaram satisfeitos.”

Evangelho de João- o quarto evangelho, diferente dos evangelhos sinóticos, considerado como um evangelho mais profundo que complementa os outros. Traz diálogos que não está presente dentre os outros evangelhos. João antes desse dialogo tinha apresentado 5 dos 7 sinais miraculosos.I. Água em vinho [2.1-11]; II. Cura do filho do nobre [4.46-54] III. Cura do paralítico [5.1-18] IV. Multiplicação dos pães [6.1-15] V. Jesus anda sobre as águas [6.16-21].

Em especial no capítulo 6, apresenta dois sinais, Jesus efetuou o milagre da multiplicação dos pães, depois conta que os discípulos haviam saído sozinhos de barco, sem Jesus, e de repente no meio da escuridão Jesus aparece andando pelo mar.


Multidões. Vamos notar como elas agem? Grande diferença é a motivação entre os dois grupos.

Nesse exato momento eles perguntam a Jesus como ele havia feito essa milagrosa à travessia, pois eles sabiam que Jesus não havia ido com seus discípulos.






1) Confusos e incertos.
Se dirigem a ele como “Mestre” ou “Rabi” .
Eles o reconheciam como mestre X embora questionasse seu ensino.
Eles o aclamam como o Rei (v15) X embora não entendam nada do seu reino.

2) Motivação errada
“É verdade que”: em vez de responder o que eles queriam, o mestre questiona sobre a motivação deles.
“é que vocês estão me procurando, não porque viram os sinais miraculosos, mas porque comeram os pães e ficaram satisfeitos.”

Quando eles viram o milagre da multiplicação dos pães, a multidão o enxergou literalmente, e não da forma que deveriam enxergar. Esse milagre em particular tinha enchido a barriga do povo e o povo amou (comeram os pães e ficaram satisfeitos) e todos estavam dispostos, fundamentados nisso, a alistar-se imediatamente.

3) Noções materialistas do Reino

Não trabalhem pela comida que se estraga Quando Jesus diz ao povo para não trabalhar pela comida que se estraga, ele está reprendendo suas noções puramente materialistas do Reino (6:15 Sabendo Jesus que pretendiam proclamá-lo rei à força, retirou-se novamente sozinho para o monte).
Como a mulher junto do poço que estava ansiosa para receber um suprimento interminável de água para que não precisasse voltar ao poço, assim também essas pessoas esperam um milagre que vá encher seus estômagos com pão.


4) Não entendem as palavras do mestre e nem as sua própria natureza. Quantas perguntas erradas eles fazem , Jesus responde o certo, mas eles nãoo enxergam.

1) Joh 6:28  Então lhe perguntaram: "O que precisamos fazer para realizar as obras que Deus requer? "  
Jesus respondeu: "A obra de Deus é esta: crer naquele que ele enviou".
2) Joh 6:30,31  Então lhe perguntaram: "Que sinal miraculoso mostrarás para que o vejamos e creiamos em ti? Que farás? Os nossos antepassados comeram o maná no deserto; como está escrito: ‘Ele lhes deu a comer pão do céu’".
Joh 6:32  Declarou-lhes Jesus: "Digo-lhes a verdade: Não foi Moisés quem lhes deu pão do céu, mas é meu Pai quem lhes dá o verdadeiro pão do céu.  Joh 6:33  Pois o pão de Deus é aquele que desceu do céu e dá vida ao mundo".
Joh 6:34  Disseram eles: "Senhor, dá-nos sempre desse pão! "
Joh 6:35  Então Jesus declarou: "Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome; aquele que crê em mim nunca terá sede.
Joh 6:36  Mas, como eu lhes disse, vocês me viram, mas ainda não crêem.

Não temos tempo para analisar todos esses versículos, mas podemos perceber que a motivação que segue o coração da multidão é totalmente centrada em si mesma e que no final desse capitulo vemos que esses discípulos não seguem a Jesus pelo o que ele é, mas pelo o que pode lhe proporcionar.




Discípulo
O ministério de um discípulo é feito de joelhos aos pés da cruz.

Mat 16:24  Então Jesus disse aos seus discípulos: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.
Mat 16:25  Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a vida por minha causa, a encontrará.

Por que a cruz é tão importante?
Diabo x Jesus ir para a cruz.
Como discípulos temos que ser atraídos para onde o nosso mestre foi atraído. Para cruz.
O diabo fez de tudo para que Jesus não chegasse na cruz e vai fazer de tudo para que você não chegue nela. A cruz foi o ponto central de Jesus e será também o nosso.
Porque se Jesus chegasse na cruz o diabo estaria condenado para sempre.

Por que o Diabo quer que nós estejamos longe da Cruz?
Primeiramente é lá que encontramos a nossa salvação. Por meio daquele sacrifício Jesus se torna justiça por nós. A condenação que nós merecíamos pelos nossos pecados é liberta naquele sacrifício, ou seja, a ira de Deus que deveria ser laçada sobre nós é apaziguada, e todos os nossos pecados são lançados são lançados sobre Jesus, e nos limpa concedendo a salvação.
Segundo, mesmo assim, o diabo quer deixar-nos longe da cruz, quanto mais longe nós nos distanciamos da cruz , mais distantes de Cristo ficamos e nos tornamos legalistas, olhando para o próximo, querendo corrigir os outros e esquecemos dos nossos corações.
 


Por que Jesus nos chama para perto da cruz?
Porque lá nós conhecemos a nossa natureza.
Na cruz existe arrependimento. Por que existe arrependimento? Porque lá nós vemos o quanto nós somos pecadores e terríveis. Por culpa do nosso pecado um inocente foi para lá.
Ele não deveria estar lá, se existisse alguém que não deveria estar naquela cruz esse era Jesus. Mas por causa da nossa maldade, da nossa iniquidade, dos nossos pecados ele foi para lá.
É aos pés da cruz que nós devemos iniciar o nosso caminhar como discípulos.

Assim que se inicia a vida de um verdadeiro discípulo aos pés da cruz.

Discípulo é reconhecido pelos seus frutos. Por que?

O fruto é algo que a arvore produz e não se alimenta deles. O fruto serve para alimentar outras pessoas.
E quais são esses frutos que produzimos quando estamos de joelhos na cruz?
Analisando o estudo feito em aula no seminário vemos as características que um discípulo deve buscar no sermão do monte nas bem aventuranças.

1. Pobres de espírito- Falência espiritual- Deus nos esvazia de certa forma que quando passamos por problemas nós nos achegamos a ele, sabendo que só ele pode resolver. Ser consolado em nossos. –dependência total de Deus e seus recursos, cf.
Is 57.15

2. Os que choram- não se conformam com o próprio pecado e com a situação do mundo [5.4]

3. Os humildes dão prioridade ao próximo acima dos próprios interesses 5.5 contrário do materialismo consumista –Jesus é exemplo máximo, cf. Mt 11.28-29



4. Os que têm fome e sede de justiça- • vivem em obediência o padrão da vida justa
(Bíblia) diante de Deus [5.6]
– não para aparecer, cf. Mt 6.1
– busca da vontade de Deus (Palavra)
– desejo de ver o agir de Deus na vida e mundo

5. Os misericordiosos
• respondem de forma prática às necessidades do próximo [5.7]
–misericórdia de Deus comigo leva a agir da mesma forma com próximo (Mt 6.12)
–bom samaritano


6. Os puros de coração
•mostram lealdade constante a Deus e vivem a Sua santidade [5.8]
–“purificado” (limpo) de coração
–relacionamento com Deus a partir do perdão em Jesus
–ver a Deus: 1Jo 3.2-3

7. Os pacificadores
• promovem a reconciliação entre homens e Deus e
entre as pessoas [5.9]
–paz (resolução de problemas) entre irmãos (igreja)
–“gosto” de paz para a sociedade e mundo

8.  Os perseguidos por causa da justiça
 • estão dispostos a pagar o preço pelo compromisso com Cristo [5.10-12]
 –mundo que sente-se “acusado” pelos cristãos (2Tm 3.12)
 –perseguição:
 a. por causa de Cristo
 b. insultos e calúnias (como com profetas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário