quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Estudo de João 1.29-34 16/10/2012


Estudo de João 1.29-34

Por diversas vezes ao longo de nossas vidas iremos nos deparar com varias situações difíceis. Muitas delas poderão produzir sentimentos em nosso caminhar que irão abalar nossos dias. É muito difícil lidar com esses sentimentos. Nessas fases temos o costume de nos martirizar, de nos colocar para baixo e achar que nós não temos um valor especial. São as crises de nossas vidas. Todos os dias temos que dar louvores a Deus por termos acesso a bíblia, pois nela existe a resposta para as nossas crises. Sabemos que existem milhares de versículos, e infelizmente não temos como decorar todos, mas existem alguns que são muito importantes, alem de gravarmos de nós meditarmos nele. E esse versículo de João é um exemplo disso. Ao ler esse texto Deus trouxe ao meu coração o quanto nós somos especiais para ele. Se algum dia estiver desanimado, ajoelhe ao lado da sua cama, arrependa-se daquilo que te produziu esses sentimentos e com certeza Deus vai te ministrar o quanto você é especial para Ele e irá te mostrar o grande valor que você tem, pois fomos comprados por um alto preço que seria impossível de mensurar, o maior preço, o único preço.

Jo 29 "Vejam! É o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!”

Quando lemos essas palavras de João temos que nos alegrar. Devido a termos o costume de ouvirmos essa expressão com muita ênfase nos nossos dias, acabamos perdendo um pouco do valor e da profundidade que ela pode nos proporcionar. Naquela época essas palavras produziam um grande impacto na vida dos judeus que a escutavam, pois existia um significado muito importante para eles.

1. Um cordeiro foi usado como sacrifício na Páscoa (Ex 12.1-36)
2. Um cordeiro foi levado ao matadouro, segundo as profecias de Isaias (Is 53.7)
3. Um cordeiro era imolado nos sacrifícios diários de Israel (Lv 14.12-21)

O cordeiro era o animal utilizado pelos sacerdotes para que pudessem, através do sacrifício, purificar o pecado do povo. É interessante analisar como Deus trabalha sempre com a graça. Estipula a Lei como um holofote que mostrava o pecado do povo e que trazia o que era o caráter santo de Deus, mas ao mesmo tempo produz algo que pudesse redimi-los da culpa (sacrifício), se mostrando um Deus de amor. Cada sacrifício e todos os cordeiros mencionados na Bíblia apontavam para a vinda de Jesus, o cordeiro de Deus que através do sacrifício na cruz tiraria o pecado do mundo.

“Fiquemos atentos para que, ao pensarmos em Cristo, sempre o façamos conforme João Batista o apresentou neste texto. Sirvamos a Cristo fielmente, como nosso mestre. Obedeçamos-lhe lealmente, como nosso Rei. Atentamos aos seus ensinos. Sigamos diligentemente os seus passos, tendo-o como exemplo. Aguardemos intensamente a sua vinda como aquele que há de redimir nosso corpo e nossa alma. Acima de tudo, prezemo-lo como o que foi sacrificado por nós e descansemos todo o nosso fardo em sua morte, oferecida como expiação pelo nosso pecado. Que seu sangue seja cada dia mais precioso para nós, cada dia que vivermos!Em todas as coisas que gloriamos a respeito de Cristo, gloriemo-nos, acima de tudo, em sua cruz, Está é a pedra angular, este é o lugar seguro, este é o fundamento verdadeiro da teologia cristã, Não estaremos certo de qualquer coisa acerca de Cristo, até que o vejamos da perspectiva de João Batista e nos alegremo-nos nele como “o cordeiro que foi morto”.” (J.C Ryle)

Notemos também a obra peculiar que Cristo realiza segundo as descrições de João Batista. João diz que Cristo “tira o pecado do mundo”. Cristo é o Salvador. Ele não vem ao mundo para ser um conquistador, um filosofo ou mero professor de moralidade. Veio para salvar pecadores. Veio para fazer o que o homem jamais poderia fazer por si mesmo; para conceder o que o dinheiro e a cultura jamais poderiam obter. Para realizar o que é essencial à felicidade do homem; enfim veio para tirar o pecado. Cristo é o salvador completo. Ele tira o pecado. Não apenas uma vaga proclamação de perdão e misericórdia. Ele levou sobre si os nossos pecados e os afastou de nós. Consentiu em tomar e carregar “ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados” (1Pe 2.24). Os pecados de todo aquele que crê em Jesus tornam-se como se nunca tivessem sido cometidos. O cordeiro de Deus de Deus os removeu completamente.

O outro oficio que João Batista fala de Jesus é aquele que batiza com o Espírito Santo. O batismo referido aqui não é o batismo das águas. Não pode ser ministrado por homens.è o batismo que Jesus e consiste em implementar graça em nossos corações. É o mesmo que o novo nascimento. É o batismo do coração e não do corpo. É o batismo que o ladrão arrependido recebeu, embora não tenha sido submerso em águas por mãos.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário